segunda-feira, 27 de julho de 2009

Milton Hatoum















"Por trás de um grande escritor, há sempre uma grande bliblioteca."

Millôr Fernandes [?]



A cidade ilhada, de Milton Hatoum

Comecei e acabei assim, rapidinho, lendo os contos saltados, e anotando às margens com minha lapiseira 0.9. Gostei muito mais do que esperava, na contramão de seus romances. Uma escrita clássica, num ponto e noutro roçando o Gabriel Garcia Marquez dos Doze contos peregrinos, e umas maneiras de Borges, talvez a sobriedade. Manaus unipresente. Estrangeiros lá e aqui, mas sempre a Amazônia, e assim algo de exótico reverberando. Engenhosa habilidade de Hatoum de construir suspense e algum mistério. Num dos grandes contos: o que está em Machado de Assis (mas com desfecho mal resolvido) é bonito modo de Hatoum de arejar nos contos aquela tendência neo-regionalista que há em sua prosa. A fingida memória (familiar, no limite da crônica, mas e as palavras). Com ele, nada de brechtismo: sabe ele bem esconder o verso do bordado. Nele, tudo soa ponderado, mil vezes visto revisto. Literatura calculista? Literatura de fardão? Onde a espontaneidade, a seta certeira? E o tempo presente? (a quem interessar possa?) Todos os velhos críticos sossegados. Hatoum não quer inspirar paixão, é amor de esposa amantíssima, dona-de-casa honrada. Não puxa o tapete. Não foge com o vizinho. E eu ouso dizer que gostei até demais, pois tudo é belo (porque sem sobressalto), tudo amorável até no que lhe falta: aquele quê de transcendência que fazia dos poetas e prosadores mais antigos uma espécie de milagre.



Contos:

Varandas de Eva
Uma estrangeira da nossa rua
Uma carta de Brancroft
Um oriental na vastidão
Dois poetas da província
O adeus do comandante
Manaus, Bombaim, Palo Alto
Dois tempos
A casa ilhada
Bárbara no inverno
A ninfa do teatro Amazonas
A natureza ri da cultura
Encontros na península
Dançarinos na última noite.

A cidade ilhada. Milton Hatoum. Cia das Letras. 2009.

Do rigor na Ciência














Naquele Império, a Arte da Cartografia atingiu uma tal perfeição que o mapa duma só Província ocupava toda uma Cidade, e o mapa do Império, toda uma Província. Com o tempo, esses Mapas Desmedidos não satisfizeram e os Colégios de Cartógrafos levantaram um Mapa do Império que tinha o tamanho do Império e coincidia ponto por ponto com ele. Menos Apegadas ao Estudo da Cartografia, as Gerações Seguintes entenderam que esse extenso Mapa era Inútil e não sem Impiedade o entregaram às inclemências do Sol e dos Invernos. Nos Desertos do Oeste subsistem despedaçadas Ruínas do Mapa, habitadas por Animais e por Mendigos. Em todo o País não resta outra relíquia das disciplinas geográficas”. [Suárez Miranda: Viagens de Varões Prudentes, livro quarto, cap. XIV, Lérida, 1658. Fragmento selecionado por Jorge Luis Borges, "Do Rigor na Ciência", in "História Universal da Infâmia", tradução Flávio José Cardozo, Porto Alegre, Globo, 1978]

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Entrevista Ivana Arruda Leite


Ivana Arruda Leite

A cidade ilhada, de Milton Hatoum


Vídeo promocional sobre livro de contos de Milton Hatoum, "A cidade ilhada".

A arte de produzir efeito sem causa - Lourenço Mutarelli


Vídeo promocional do livro de Lourenço Mutarelli.

"O Gato Diz Adeus", de Michel Laub


Vídeo pormocional de literatura da Cia das Letras, sobre romance de Michel Laub, O gato diz adeus.

Entrevista de Bernardo Carvalho


Apresentação do livro O filho da mãe, de Bernardo Carvalho (Projeto "Amores Expressos")

Entrevista com Daniel Galera


Encontros de Interrogação - Itaú Cultural

Entrevista com Marçal Aquino


Encontros de Interrogação - Itaú Cultural

Entrevista com Luiz Ruffato


Encontros de Interrogação - Itaú Cultural

ENCERRAMENTO

O curso encerrou, mas o blog continua. Em breve, postagem de alguns trabalhos desenvolvidos no curso e outras participações.

Eduardo Araújo

Entrevista de Cíntia Moscovitch



Vídeo enviado por email e postado por indicação de Silvana S.C.Cardozo

Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea

Estudando os contistas pós-utopicos ou as novas formas
da Literatura Brasileira.

Seguidores