domingo, 24 de maio de 2009

A arquitextura do estranho na obra de Rubem Fonseca: contos

Os contos "Entrevista", "O gravador" e "Lúcia McCartney", obras que fazem parte do livro Contos Reunidos, de Rubem Fonseca (2000), apresentam uma estrutura composicional que subverte as fronteiras dos gêneros literários ao se apropriar de diferentes linguagens e discursos midiáticos. Este trabalho teve como propósito apresentar uma leitura desses contos com base na hipótese inicial de que essas linguagens em conexão com o sistema literário problematizam a feição da contística fonsequiana, atribuindo-lhe um caráter meta-artístico. Em "Entrevista", o modus operandi do sistema literário apropria-se do discurso jornalístico e teatral em relação, propondo a confluência dessas linguagens como fator propício à estilização das seguintes categorias narrativas: narrador, personagem e cronotopia. Em "O gravador", observou-se a emergência de uma linguagem-suporte, a virtual, em interface com as linguagens publicitária, teatral; e em "Lúcia McCartney", verificou-se a predominância do hipertexto como elemento estruturante da fragmentação e corporificação performática da linguagem literária. A intersecção desses diferentes gêneros discursivos gera o hibridismo do discurso literário e erige como resultado uma arquitextura do estranho no corpus analisado.

Abstract da dissertação:  A arquitextura do estranho na obra de Rubem Fonseca. 
Tese de Nelma Aronia Santos.

Disponível para download:
Location http://www.sapientia.pucsp.br//tde_busca/arquivo.php?codArquivo=2567

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea

Estudando os contistas pós-utopicos ou as novas formas
da Literatura Brasileira.

Seguidores